A Cerveja no mundo feminino

Atualizado: Ago 26

Um novo mundo se abriu quando tomei minha primeira cerveja artesanal e por impulso decidi fazer um curso de Técnicas de Degustação e Cultura Cervejeira ministrado pelo Biersommelier Doug Merlo, em 2013. Tudo certo até o momento em que amigavelmente comentei sobre o curso com meu pai e para minha surpresa (e provavelmente ele estivesse surpreso também) ele me diz: “Aline, não tinha um curso mais de menina para você fazer?”


Depois de explicar a ele meu interesse em conhecer o mundo das cervejas artesanais, conclui que provavelmente seja apenas porque meu pai é de uma geração onde não é costume ver mulheres bebendo e estudando cerveja.


Pois bem que não parou por ai, sempre que degustava um novo rótulo fazia uma breve avaliação e divulgava em redes sociais, o feedback foi um tanto quanto surpreso: notei que além do “espanto” das pessoas ao descobrirem meu interesse pela cerveja artesanal, muitos de meus amigos (sim, mulheres e homens) não tinham o hábito e/ou conhecimento de consumir essas cervejas, sendo assim, cheguei a uma conclusão: cerveja não é exclusivamente assunto de homem!


Talvez o que tenha levado a essa ideia é o fato de que, com o passar dos anos a fabricação de cerveja no lar foi transferida para a fabricação em indústrias, onde a predominância era de cervejeiros (homens) profissionais, com isso o trabalho das mulheres se limitou aos serviços domésticos, deixando de lado as técnicas de produção de cerveja.


O que me faz questionar: Por que então quando o assunto é a cerveja no mundo feminino, como item ‘sensual’ em propagandas comerciais está certo e quando a mulher prova entender do assunto ou mostra interesse técnico (e prático) isso é motivo para espanto?


Então, caros leitores e leitoras, deixemos de lado a grosseria do estereótipo atual da sociedade e vejamos o lado bom da coisa: A mulher se interessou por cerveja, quer saber mais da sua produção, da sua composição, qual deve ser o sabor incrível dessa bebida que leva flores/frutas/pimentas e tantos outros ingredientes em sua receita? Por que essa cerveja é refrescante? Por que essa é mais amarga? E tantos outros motivos que nos levam ao encontro de uma bela cerveja.

Vamos usar isso a favor do bem estar de todos: reza a lenda que a mulher tem o sentido mais aguçado para as coisas, então por que não aproveitar isso para uma brincadeira?

  1. Desafie sua mulher a escolher um rótulo que vocês não beberiam, assim poderão descobrir juntos um novo sabor – quem sabe gostar.

  2. Lugar de mulher é pilotando fogão? Beleza, então além de cozinhar, hoje ela irá escolher uma cerveja para harmonizar com o prato e provar que ela sabe o que é bom para o paladar.

  3. Troquem figurinhas, converse sobre as marcas, os sabores, qual os rótulos que mais agradam os homens e mulheres.

Esqueçam as diferenças, para beber cerveja devemos somar as companhias e não diminuir.

#MulheresCervejeiras


Texto: Aline Verdi

©2020 por Cerveja em Foco. Desde 2014