A diferença entre uma Pale Ale e uma IPA

Não há estilos de cervejas mais amados dos cervejeiros que a Pale Ale e a India Pale Ale – mais conhecida como IPA – mas qual é a diferença real entre essas duas cervejas lupuladas? Como ambas se tornaram tão populares na comunidade dos amantes de artesanais? A resposta para ambas as perguntas tem um pouco de lenda e mito, além de muito orgulho americano à moda antiga.

A primeira vez que o termo Pale Ale foi usado no que diz respeito à descrição de um estilo de cerveja remonta a 1703, quando um lote de cervejas que estavam sendo feitas na Inglaterra utilizava malte que por acaso era torrado com coca (a coca referida aqui é um combustível derivado de carvão que tem poucas impurezas e uma quantidade de carbono muito alta, por isso não cria muita fumaça, criando um calor seco e não um calor esfumaçado). O malte era mais leve por causa da falta de fumaça e acabou criando cervejas de cor mais clara do que outras da época, resultando no nome Pale Ale, já que a cerveja no copo era visivelmente mais leve, além da cor mais clara, como o malte resultante tinha um sabor mais suave, os lúpulos conseguiram aparecer com maior destaque.

Plantação de lúpulo (Imagem: Pixabay)

As Pale Ales tornaram-se bastante populares na Grã-Bretanha, onde os clientes também costumavam a se referir a elas como Bitters, devido ao perfil do lúpulo, e elas permaneceram como as únicas cervejas lupuladas no mercado por pouco mais de 100 anos, até 1829, quando temos o primeiro registro do nome IPA, sendo usado como descritivo de uma cerveja lupulada preparada especificamente para a Índia que apareceu em um anúncio no Sydney Gazette And New South Wales Advertiser. É aqui que realmente ocorre a maior parte das lendas e mitos em torno do nascimento da IPA.

Segundo a lenda, antes de aparecer a reportagem no jornal sobre a IPA, os britânicos que haviam se aventurado em sua nova colônia indiana estavam ficando com saudades das cervejas de casa e começaram a solicitar que suas Pale Ales favoritas fossem enviadas para a Índia. Temendo que as cervejas acabassem por chegar azedas, comenta-se que os fabricantes de cerveja as fortificaram com muito mais lúpulo e álcool, protegendo-as em sua jornada de seis meses pelo mar. Quando chegaram, as cervejas não apenas sobreviveram à jornada, mas muitos preferiram seu sabor mais picante. E assim nasceu a IPA.

A razão pelo qual essa história pode ser apenas uma lenda é que, ao mesmo tempo, stouts e carregadores também foram enviados para a Índia e América, e nenhum desses estilos teve seu lúpulo aumentado, mas ambos sobreviveram bem à jornada. Isso levou algumas pessoas a questionar se esse conto é simplesmente uma boa maneira de explicar facilmente como as IPAs acabaram com características de lúpulo e álcool mais fortes do que a Pale Ale.

Por mais IPAs que tenham surgido, elas realmente decolaram durante o atual boom da cerveja artesanal americana. A partir de 1980, a Sierra Nevada começou a testar o clássico estilo Pale Ale usando lúpulo americano, que era mais frutado e mais resinoso do que os lúpulos usados originalmente, os ingleses. Eles lançaram sua Sierra Nevada Pale Ale em 1981 e o estilo decolou. O resultado foi uma American Pale Ale que era lupulada e distintamente americana, devido à inclusão do lúpulo americano – sendo o Cascade o mais prevalente. Quando os fabricantes de cerveja naturalmente procuraram fazer uma cerveja ainda mais potente do que a Pale Ale, é claro que se referiram a ela como IPA.

Portanto, a IPA é tecnicamente uma versão mais forte de uma Pale Ale, mas o que isso realmente significa vai variar do fabricante de cerveja que faz as duas bebidas. Enquanto uma Pale Ale é a versão mais suave da IPA de um fabricante de cerveja, você poderá experimentar várias Pale Ales mais fortes em teor alcoólico e mais lupuladas que várias IPAs de outros fabricantes, pois vai depender da releitura do produtor, pois a abrangência da padronização dos estilos caminha em uma linha tênue de diferenciação entre a Pale Ale mais potente e a IPA mais suave.

Para tornar as coisas um pouco mais confusas, os estilos americanos de IPAs também diferem tradicionalmente dependendo de qual costa dos Estados Unidos sua cerveja foi fabricada. As IPAs da Costa Oeste (West Coast IPA), que normalmente são as IPAs conhecidas por suas características de lúpulo muito mais intensas – em homenagem à infinidade de lúpulos frescos disponíveis para os fabricantes de cerveja no noroeste do Pacífico. As IPAs feitos na costa leste, por outro lado, tradicionalmente usam uma presença mais forte de malte para trazer mais equilíbrio à intensidade do lúpulo.

Fontes: Adam Teeter/ Vinepair

#EUA #SierraNevada #PaleAle #IPA #Inglaterra

©2020 por Cerveja em Foco. Desde 2014