Como Garrett Oliver visa criar uma mudança duradoura no ramo de cervejas e destilados


Em 2019, a Brewer's Association conduziu uma pesquisa que apresentou à indústria cervejeira estatísticas preocupantes em relação à diversidade de sua força de trabalho . De acordo com o economista-chefe Bart Watson, “os dados mostram que, de forma semelhante aos consumidores artesanais, os funcionários da cervejaria são desproporcionalmente brancos em relação à população geral dos EUA e ao local onde as cervejarias estão localizadas”. Mais especificamente, a pesquisa indica que 89% dos cervejeiros e 76,2% do pessoal de produção que trabalha na indústria cervejeira são brancos.


Para muitos profissionais da cerveja, incluindo Garrett Oliver da Brooklyn Brewer, essa não era uma informação nova ou surpreendente. Foi simplesmente um lembrete gritante do estado da indústria. Em seus 30 anos como cervejeiro, Oliver sempre esteve ciente da falta de diversidade no mundo da cerveja, mesmo dentro das paredes da cervejaria que ele chamou de casa por tanto tempo. Recentemente, ele admitiu que sempre se perguntava por que os candidatos negros não se candidatavam. “Minha antiga formulação era que talvez as pessoas não estivessem interessadas, ou que não fosse minha culpa, porque eu coloquei as vagas de empregos em todos os jornais e etc.”, diz ele. “Na comunidade da cerveja, todos nós nos vemos como pessoas muito legais, equitativas e justas, mas os fatos reais, a verdade, é a maneira como temos feito as coisas que historicamente produziu iniquidades em nosso setor hoje. Isso inclui eu. ”


Após o assassinato de George Floyd pela polícia em maio, e os protestos que se seguiram contra o racismo e a brutalidade policial na América, Oliver decidiu que precisava agir pessoalmente para ver a mudança que estava esperando. “Decidi inverter a maneira como via a situação”, diz ele. “E se não fosse culpa de outra pessoa? E se fosse minha culpa? O que eu poderia fazer sobre isso? ”


No início de julho, Oliver anunciou a formação da Fundação Michael Jackson. Batizada com o nome do lendário autor de conteúdos sobre cerveja e uísque, que Oliver diz ter desempenhado um papel profundo em ajudá-lo a se firmar no mundo da cerveja quando outros questionavam suas capacidades, a organização sem fins lucrativos que concede subsídios começará por conceder duas bolsas - The Sir Geoff Palmer Prêmio de bolsa de estudos para cervejarias e Prêmio de bolsa de estudos Nathan Green para destilaria - para candidatos BIPOC qualificados. Para gerar os fundos necessários, Oliver diz que entrará em contato com parceiros em potencial para doações e também lançou uma campanha GoFundMe , que gerou mais de US $ 84.000 nos primeiros 17 dias de arrecadação de fundos.


O objetivo final é remover as barreiras sociais que mantêm a BIPOC* à margem das indústrias de cerveja e destilados. “Sabemos que os afro-americanos nos Estados Unidos têm cerca de um décimo dos bens familiares ou pessoais de outras famílias. Pessoas de cor em geral são economicamente desfavorecidas”, diz Oliver.


Oliver é rápido em apontar que existem caminhos para o negócio de cerveja e destilados que não envolvem uma educação formal, mas seu objetivo com este programa não é apenas impulsionar a carreira para um punhado de cervejeiros. É construir um sistema inteiramente novo a partir do zero, gerando um ciclo de educação e orientação que estabelecerá uma base duradoura para as gerações futuras. “Queremos pegar pessoas que estão fazendo um ótimo trabalho e dar-lhes conhecimento para que, quando voltem do curso, sejam funcionários mais valiosos, qu​​e tenham maiores oportunidades de carreira, e possam então se destacar nas organizações onde eles estão, e em um curto período de tempo, atuem como mentores para as pessoas que estão vindo de nossos programas e até de outros ”, diz ele.


Para criar uma mudança estrutural duradoura, os candidatos ideais para as primeiras bolsas serão pessoas que já trabalham na indústria cervejeira, mas ainda não têm educação formal. “A pessoa que já demonstrou um compromisso em fazer isso tem mais probabilidade de ter sucesso, em média, do que alguém que pode trabalhar como contador e fazer cerveja caseira”, disse Oliver, acrescentando que a fundação planeja criar bolsas futuras para indivíduos sem experiência profissional, além de criar programas mais amplos de alcance comunitário. “Vamos começar com pessoas que têm uma probabilidade relativamente alta de sucesso, que podem mais tarde ajudar outras pessoas.”


“Não acho que a mudança exija um entendimento perfeito de como chegamos aqui, mas exige um entendimento de onde estamos e onde gostaríamos de estar”, acrescenta Oliver. “Nós só temos que fazer algumas conexões entre as pessoas e fazer uso desta comunidade maravilhosa que construímos, e vamos fazer isso. Não tenho dúvidas de que vamos fazer isso. ”


*BPOC = Black, indigenous, and people of colour (Negros, indígenas e pessoas de cor)


Fonte: Imbibe Magazine

©2020 por Cerveja em Foco. Desde 2014