Deu ruim para a Cervejaria Malta!



Os motivos seriam “severos indícios” que os empresários praticam delitos de natureza tributária, pelos quais já foram condenados em diversos processos nas Justiças Federal e Estadual. Atualmente, o débito da cervejaria com a Receita beira R$ 2 bilhões, sendo R$ 1,09 bilhão referente a créditos tributários inscritos em dívida ativa e R$ 828 milhões em negociação de parcelamento. Segundo relatório do Fisco, a empresa é alvo de procedimentos fiscais diversos desde 1997, quando a Delegacia da Receita Federal em Marília promoveu uma grande investigação de contas na cervejaria.

Entre as irregularidades identificadas, destacam-se o calçamento de notas fiscais, apresentação de movimentação financeira incompatível, saída de produtos sem lançamento de IPI ou sem emissão de nota fiscal, omissão de receitas, depósitos bancários de origem não comprovada, simulação de operações de distribuição gratuita, bem como ação ou omissão tendente a prejudicar o normal funcionamento do Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe). Há, atualmente, 26 execuções fiscais em andamento contra a cervejaria, além de outras 34 suspensas.


Os empresários foram condenados em todos os processos, estando um deles suspenso por parcelamento do débito tributário. Atualmente, eles ainda respondem a ação penal ajuizada em 2015 na 1ª Vara de Assis. Além disso, entre 2001 e 2011, também tramitaram na Justiça Estadual 11 processos envolvendo os irmãos Schincariol.

Matéria completa em Giro Marília

#CervejariaMalta #MinistérioPúblicoFederal #MPF #Schincariol

©2020 por Cerveja em Foco. Desde 2014