O dia da Cerveja Impura

Prestes a completar 500 anos de existência no próximo dia 23 de abril, a tradicional Lei da Pureza Alemã ou Reinheitsgebot, dará lugar ao Dia da Cerveja Impura. A data será festejada em diversas cidades brasileiras, inclusive com um evento organizado pela cervejaria carioca 2Cabeças, que inclui o lançamento da anti-cerveja, sem água, lúpulo nem malte de cevada.

O casarão Ameno Resedá será o palco deste evento regado a muita cerveja com diversos cereais, frutas, especiarias e maturação em madeira, com degustação liberada. Serão mais de 15 rótulos disponíveis da 2Cabeças, Penedon, Invicta, 3Cariocas, Morada, Freigeist, Treze, Three Monkeys e Hocus Pocus, que abusaram dos ingredientes inusitados na criação de suas receitas. “É um dia para celebrar a diversidade e a criatividade sem limites. Contamos com a participação de diversas excelentes cervejarias para juntar uma seleção incrível de rótulos impuros”, comenta Maíra Kimura, da 2Cabeças. O destaque será o lançamento da cerveja Bizarro, uma “anti-cerveja”, com 6,2% de teor alcoólico. Ela foi desenvolvida pela cervejaria Morada – Cia Etílica, pela 2Cabeças e a alemã Freigeist, com o intuito de desafiar os limites. No lugar da água, foram utilizados chimarrão, água de coco e sidra de maçã. O lúpulo foi substituído por semente de coentro, artemísia e zimbro. Em vez de malte de cevada, os cervejeiros utilizaram maltes de arroz e aveia. Na finalização, um pouco de mel para ajudar a fermentação com levedura French Saison e Brettanomyces.

Muitos ainda acreditam (erroneamente) que a serve como referência de qualidade para as cervejarias, embora isso não tenha qualquer fundamento histórico, afinal, não se pode garantir a qualidade de uma cerveja apenas com os ingrediente, é como fazer um bolo pela primeira vez, você tem a receita, tem ingredientes e suas respectivas quantidades necessárias, mas ao assar ele fica “solado”, você usou a receita corretamente, e seu bolo deu errado, mas a receita não deveria garantir a qualidade do seu bolo? Pense nisso toda vez que alguma cervejaria disser “nós seguimos a Lei da Pureza”. “Sempre buscamos usar os ingredientes que imaginamos fazer a cerveja ficar melhor. Não faz sentido valorizar e se prender a uma diretriz que nunca se destinou a preservar a qualidade. O próprio Sebastian, cervejeiro da Freigeist, relata a dificuldade que é para o alemão aceitar estas inovações, o que é uma luta diária dele por lá”, afirma Bernardo Couto, da 2Cabeças.


#Reinheitsgebot #Freigeist #CervejaBizarro #LeidaPureza #2Cabeças

©2020 por Cerveja em Foco. Desde 2014