• Maria da Hora

O estilo IPA e suas variações

Todo estilo de cerveja tem uma boa história envolvida e com a IPA não poderia ser diferente.

Há várias histórias sobre esse estilo, porém a mais contada é sobre os ingleses que estavam colonizando as Índias.


Entre o final do século 18 e início do século 19 os ingleses viajavam para as Índias em grandes embarcações, onde levavam suas cervejas inglesas para que pudessem tomar durante a viagem e o tempo que ficassem na Índia, mas eram viagens longas e essas cervejas estragavam com muita frequência, então assim surgiu a ideia de "transformar" a clássica Pale Ale inglesa em IPA, acrescentando uma carga maior de lúpulo, uma vez que ele é conservante natural, mas, com o acréscimo de maltes para dar equilíbrio, e com a carga do lúpulo também potencializou o teor alcoólico da cerveja, fazendo com que a bebida tivesse uma durabilidade maior.


A nova receita deu certo, eles conseguiram transportar suas cervejas, manter a qualidade durante toda a expedição, e claro, caiu no gosto da população inglesa, tornando cada vez mais popular a India Pale Ale (IPA).

Hoje há uma grande variação quando o assunto é IPA, mas o estilo referente a história contada acima é English IPA, porque pertence ao grupo de cervejas de derivação inglesa e é devido a ele que foi surgindo as demais variações de IPA.


Nos Estados Unidos por volta de 1970 os Homebrewers descobriram uma paixão pelas cervejas mais amargas, fazendo com que a IPA ganhasse uma versão mais lupulada e com mais amargor, moderadamente forte (mais alcoólica), com variedades de lúpulos americanos, que é denominada como American IPA, esse é um estilo que cresceu fortemente no mundo todo e com isso foi surgindo os sub-estilos, os quais você já deve estar imaginando.



Belgian IPA: possuí um frutado e o caráter condimentado que é derivado da levedura belga, por ser um exemplar da Bélgica a coloração tende a ser mais clara, o perfil dessa cerveja é para um sabor mais complexo e o teor alcoólico mais elevado do que a típica IPA.


Black IPA: uma cerveja com a secura, o balanço orientado ao lúpulo e as características de sabor de uma American IPA, só que de cor mais escura, porém sem sabores fortemente torrados ou queimados.


Red IPA: lupulada, amarga e moderadamente forte como uma American IPA, mas com um caráter de malte com um pouco de caramelo, toffe, e/ou caráter de frutas escuras e secas; uma Red IPA é um pouco mais saborosa e maltada, sem ser doce.


White IPA: uma versão frutada, condimentada e refrescante, mas com uma cor mais clara, um corpo mais leve caracterizado por leveduras e/ou especiarias típicas de uma Witbier belga.


Esses são alguns dos estilos que podemos chamar de, variações da IPA, ou seja, são esses que entram na categoria Specialty IPA, movimentando o cenário, trazendo novas tendências e até mesmo ganhando espaço nos principais guias de estilos que catalogam os tipos de cervejas e suas características sensoriais, sendo eles, Brewers Association e BJCP- Beer Judge Certification Program.

©2020 por Cerveja em Foco. Desde 2014