Pastry Stout: A tendência de um novo estilo que começa a chegar ao Brasil

Você está na mesa do bar com seus amigos e resolve pedir para o garçom se eles possuem alguma”pastry beer”, prepare-se, pois alguém da mesa irá se manifestar contra o seu pedido.  O argumento será que o estilo na verdade não é um estilo, sem contar que não inclui ingredientes de sobremesas ou imitam alguma sobremesa. Ainda assim, não há como negar a popularidade do “estilo” que teve um “boom” em 2017 nos EUA.

“Houve um tempo em que a cerveja tinha gosto de cerveja”, dirão os mais saudosos e defensores dos guias de estilo. Então os cervejeiros tiraram as restrições e começaram a adicionar todos os tipos de ingredientes nas cervejas; logo eles estavam tentando fazer cervejas que imitavam alimentos. É onde estamos hoje, especialmente na categoria de sobremesas. Embora os puristas autoproclamados possam depreciar essa tendência, os cervejeiros sabem que oferecer uma cerveja que satisfaça um paladar com aceitação maior ao doce pode ser um gerador de vendas certo, além de uma maneira de atrair novos clientes para a cervejaria e para o movimento das cervejas artesanais.

Pastry Stout: saiba mais sobre esse “estilo” (Imagem: Divulgação)


Darwinismo

“Há definitivamente uma tendência para cervejas inspiradas em outras coisas que não são bebidas”, diz Mark Theisen, o chefe de cervejaria da Coronado Brewing Company. “É o darwinismo, onde você tem que evoluir e fazer coisas interessantes e tornar-se conhecido por cervejas originais e ter algo único que lhe permita estar na vanguarda da mente das pessoas.”

A cerveja do vigésimo primeiro aniversário da cervejaria foi tão bem recebida que os cervejeiros deram um passo adiante para criar uma versão envelhecida em barris de uísque, e aqui Theisen descobriu que a chave era sabores em “camadas”, assim como um padeiro faria. A próxima cerveja é uma mistura de velhos e jovens, com ingredientes especiais adicionados ao longo do tempo. Eles começaram com sua Imperial Stout, feita com uma gravidade inicial mais alta – “nós usamos uma temperatura mais alta”, diz ele – e depois terminou com açúcares não fermentáveis ​​nos barris junto com algumas cerejas e assim passando pelo processo de envelhecimento. Mais perto do tempo de mistura, eles prepararam uma versão mais jovem e regular da cerveja e adicionaram 50 quilos de coco torrado, juntamente com nibs de cacau. Eles misturaram as duas stouts até que eles tivessem uma bebida com características de um bolo muito saboroso

Há uma cerveja lá

Theisen e outros fabricantes de cerveja falam de processos e armadilhas de usar certos ingredientes e, às vezes, ficam imaginando se essa tendência não é semelhante a um cachorro perseguindo sua cauda. No entanto, todos eles voltam ao ponto central de que não importa o sabor, a lembrança que remete um sobremesa ou o teor de açúcar, o produto final ainda deve se assemelhar com uma cerveja.

“Sou cervejeiro e respeito a cerveja”, diz Steve Altimari, o mestre cervejeiro e presidente da High Water Brewing da Califórnia, de sua Campfire Stout. “Eu queria fazer algo que as pessoas quisessem. Ela ganhou o ouro – duas vezes – no Great American Beer Festival na categoria de cervejas especiais”, e Altimari diz que rapidamente se tornou o carro-chefe da cervejaria.

Altimari tentou vários ingredientes e métodos diferentes antes de decidir sobre a receita conhecida e amada hoje. Uma fábrica em Indiana envia 4.600 libras de farinha de biscoito à sua cervejaria antes de cada dia de fermentação. Para o sabor do chocolate, ele usa o malte Carafa com um pouco de baunilha. O marshmallow é um sabor que Altimari chama de “natural”. Com algum melaço para um pouco de profundidade extra e sensação na boca.

Sugestão de um sabor

Ao embarcar em uma nova receita para uma dessas cervejas inspiradas em sobremesas, os cervejeiros dizem que a grande sacada é lembrar e pesquisar ingredientes que não são familiares.

“Você pode acabar com algo que tem gosto de protetor solar, e isso não é um sabor agradável”, diz Theisen. “Além disso, você pode obter tanto óleo do coco que você pode obter uma cerveja oleosa, ou seja, zero retenção de colarinho, e ninguém quer isso.

Theisen está começando a trabalhar em seu próximo projeto: uma cerveja inspirada em um croissant de limão vidrado como os servidos em sua padaria local favorita. Ele está planejando usar lactose para simular a cremosidade do glacê açucarado, dosando a cerveja com as raspas de limão e purê de baga e complementando a coisa toda com lúpulos que têm notas cítricas e de frutas vermelhas.

Fonte: https://beerandbrewing.com

#CampfireStout #CoronadoBrewingCompany #HighWaterBrewing

©2020 por Cerveja em Foco. Desde 2014